O Uivo e o Grito

EN

Pizz Buin’s ‘o uivo e o grito’ (literally the howl and the scream) is a project made for the occasion of the ESAD-cr, 20th year anniversary exhibition (ESAD-cr is an art school in Portugal – all members of the pizz buin collective have graduated in this institution).In the U&G, the collective worked simultaneously on the unveiling of Moldura Dourada (an art work by former student Balin) and the research of the school history and activity since it’s beginning in the 90’s.Moldura Dourada was a project made some 10 years before, in the school main atrium, by ex-student Balin. The project was promoted and financed by the school administration under the idea that the students were the actual institution and therefore should participate actively in its construction.. a few years later, Moldura Dourada was totally covered with plywood by order of a new administration – by the occasion of an event happening in the same space – but nonetheless, introducing a period of modernization and “cleaning” of previous art practices/objects. During this process other similar actions were taken, for the sake of a new “professional” image, featuring a somewhat “international” profile, eventually shifting the role of the art student to that of the user.

For this exhibition (precisely celebrating the school artistic activity) the collective uncovered and revealed the Moldura Dourada work together with a graphic of the school history based on a research document, that ultimately become a publication called auf auf, ai que te gritas. The publication gathered all sorts of materials from former students and teachers (interviews, statements, photos, old newspaper articles etc) in order to create a comprehensible overview of the school trajectory and the deep changes along the years.

The project focused on the development of educational public institutions (for art), while following the first hand example of the ESAD-cr, it’s implementation years, problems, complexity and eventual ‘cleaning’ towards an image of ‘internationality’. Moreover, the research lead by the collective exposed the well known tensions between institution and art practitioners, triggering discussions around the margin of (tangible) participation in such institutions; the necessary questioning and transgression towards institutional rule; the political agencies behind a cleaning image (such as hiding and re-writing the past)..

PT

O uivo e o grito é um projecto de reflexão sobre o percurso da ESAD-cr, apresentado na exposição 90/10, em 2011, a propósito dos 20 anos de ensino artístico desta escola.Durante este projecto o colectivo iniciou uma pesquisa aprofundada sobre a trajectória da ESAD-cr, ao mesmo tempo que organizou uma acção simbólica a fim de revelar, in loco, o projecto Moldura Dourada do ex-aluno Balin. A Moldura Dourada, tinha sido produzida no inicio dos anos 2000, no átrio principal da ESAD-cr. O projecto foi apoiado e financiado pela então direcção da escola, sobre o ideal de que a instituição é/são os alunos e que estes deviam ter uma participação activa na sua construção material e imaterial.Alguns anos mais tarde e por ordem de uma nova direcção, a Moldura Dourada foi totalmente coberta (a propósito de um evento a acontecer naquele mesmo espaço) dando assim inicio a uma nova fase de modernização da escola, seguida da necessária ‘limpeza’ de práticas e objectos representativos das gerações anteriores. Durante este processo, estratégias semelhantes foram aplicadas a situações semelhantes, com o intuito de criar uma imagem ‘profissional’, limpa e eventualmente ‘internacional’. Esta modernização acabaria por mudar o paradigma do estudante de arte, tornando-o irremediavelmente no utente da instituição de ensino superior..da arte.

Para esta exposição (celebrando a actividade artística da escola), o colectivo avançou com a recuperação da Moldura Dourada no átrio da escola, e simultaneamente para a produção de um gráfico/mapa com os momentos considerados relevantes para história da ESAD.cr. O gráfico produzido para a ocasião teve como base a pesquisa sobre os 20 anos da ESAD-cr, que reuniu os materiais necessários (entrevistas, fotos, depoimentos de ex-alunos e professores) para uma publicação de nome auf auf, ai que te gritas. A publicação teve como objectivo oferecer um documento, que representasse em profundidade o percurso da escola e a complexidade das movimentações associadas.

O U&G recai – numa perspectiva intimista – sobre o processo de desenvolvimento da ESAD-cr como instituição de ensino artístico (público): a sua implementação, problemas, complexidade e eventual modernização a favor de uma imagem internacionalizável.

A pesquisa que foi accionada a propósito deste projecto acabou por expor velhas tensões entre instituição e praticantes (artistas), desencadeando discussões sobre a margem de participação/intervenção permitida por estas instituições (de ensino artístico!); a abertura/permeabilidade ao questionamento e transgressão dos limites das mesmas; as intenções/movimentações politicas na base do branqueamento da história.